ATS

A importância do ATS

Publicado em: 30/07/2014
Escrito por: André Santos
Tempo de leitura: 3 minutos

A definição do termo tecnologia em ATS é essencial para o entendimento do texto a seguir. Esse conceito inclui, de uma forma abrangente, tecnologias que compreendem um

Conjunto amplo de elementos, que vão desde conhecimentos concretamente incorporados em artefatos — medicamentos, vacinas e equipamentos — aos vários conhecimentos subjacentes a novos procedimentos médico-cirúrgicos usados no cuidado médico, bem como os sistemas organizacionais e de apoio mediante os quais este cuidado é dispensado

OFFICE OF TECHNOLOGY ASSESSMENT, 1978

Existem fatores que influenciam o custo dos elementos apresentados acima e consequentemente elevam os gastos com a saúde, alguns desses fatores são:

  • A expansão de cobertura de tecnologias,
  • Surgimento e adoção de novas tecnologias,
  • Dinamismo epidemiológico,
  • Envelhecimento da população (aumento de doenças crônico-degenerativas) e
  • O uso inadequado de fármacos em diversas situações clínicas.

Devido a esse aumento do gasto, a demanda contínua da população e a escassez de recursos, há uma necessidade de administração eficiente dos recursos e através da avaliação de tecnologias em saúde (ATS), que abrange o conhecimento de diversas áreas, essa questão da administração para suprir as carências crescentes da população em termos de promoção da saúde, bem-estar e qualidade de vida, pode ser alcançada. O cenário ideal dessa administração eficiente é a obtenção do volume máximo de resultados a partir de um volume limitado de recursos produtivos disponíveis.
O próprio Ministério da saúde demonstra, na citação abaixo, a necessidade de uma ferramenta que permita chegar o mais próximo do cenário ideal.

A avaliação é, em especial, parte fundamental no planejamento e na gestão do sistema de saúde. Um sistema de avaliação efetivo deve reordenar a execução de ações e serviços, redimensionando-os de forma a contemplar as necessidades de seu público, dando maior racionalidade ao uso dos recursos.

Ministério da Saúde

Os custos não são os únicos fatores considerados, a ATS também baseia seus resultados no desfecho clínico das intervenções em termos de eficácia (demonstração de benefício em ambiente controlado de ensaios clínicos), segurança e efetividade (benefício em estudos aplicados ao mundo real).
Assim a ATS está estritamente ligada ao movimento da Medicina Baseada em Evidência (MBE), porém, enquanto a MBE avalia principalmente os desfechos clínicos para a tomada de decisões em pacientes individuais, a ATS realiza uma avaliação mais abrangente, considerando os impactos clínicos, sociais e econômicos das tecnologias.
Para a tomada de decisão o gestor passa a demandar um volume muito grande de informação na prática diária, assim a avaliação de tecnologias em saúde é uma forma sistemática de sintetizar a evidência científica e a perspectiva de diferentes atores sobre os aspectos decorrentes da utilização das tecnologias.
Com a utilização da ATS é possível responder algumas perguntas como:

  • Das tecnologias disponíveis no mercado, quais poderão responder às necessidades da população alvo?
  • As tecnologias identificadas como necessárias irão funcionar (gerar o benefício esperado) para a população alvo?
  • Os recursos disponíveis serão suficientes para oferecer a tecnologia a todos que dela necessitam?
  • Como distribuir os recursos, considerando questões éticas e sociais relativas à utilização dessas tecnologias?
  • A quem e como deverão ser oferecidas as tecnologias?
  • Uma vez distribuído os recursos e incorporadas as tecnologias identificadas como necessárias, os efeitos em saúde esperados estão sendo alcançados?

Portanto a importância do processo de ATS reside na necessidade de se estabelecer a ligação entre o mundo da pesquisa, aqui entendido como pesquisadores, empresas de produção de tecnologia médica e universidades e aqueles que têm que decidir pela aquisição e incorporação destas tecnologias e, também, de certa maneira, “traduzir” para o público leigo o significado, vantagens e riscos das inovações.

Uma observação importante é que em virtude dos relatórios de ATS estarem relacionados ao contexto da agência e do país onde foram produzidos, os seus resultados são menos transferíveis aos cenários de outros países, sendo recomendável que cada país desenvolva seus próprios estudos baseado na sua população e situação financeira.